quarta-feira, 3 de junho de 2009

Notícias da viagem ao Ceará.

Filhos do Sertão.
Quando eu vim para o sertão do Ceará eu me iludi achando que encontraria mães e pais com tempo para criar seus filhos. Enganei-me: tempo eles têm, mas não o usam para criar os seus filhos.
Esta terra castigada pelo sol, pune seus filhos e filhas com o descaso dos pais, como acontece nos outros lugares do nosso Brasil. Perguntei a várias pessoas o que as crianças fazem durante o dia em Amanaiara, e para completar minha surpresa, nossos pequenos continuam sem pais: estão nas ruas e somem por horas. Assistem tv. Vão à escola.
A missionária Luciana, que está aqui há cinco anos, me contou que os pais dão suas crianças para quem quiser levá-las, e com facilidade, pois como eles mesmos dizem: as crianças aqui nascem em árvores.
E foi assim que mais uma vez fui afligida por esta dor que angustia a minha alma: os pais não criam seus filhos porque não querem, pois isto não é prioridade para eles. Simples e triste assim. Seja nas grandes ou pequenas cidades, no frio ou no calor, o amor dos pais pelos filhos esfriou. Este amor está a ponto de congelar de tão endurecido e embrutecido pelos interesses próprios. Eu estou tentando alertar os pais, por isso, escrevo. Espero que o seu coração não esteja como os solos áridos, do Sertão espero com fé que minhas palavras penetrem seu coração. Ame seus filhos! Demonstre isso com palavras e atitudes. Pastorei-os. Seja como o sol que ilumina e gera vida, e não como o sol que escalda e queima. Você tem poucos anos para se dedicar a eles como eles precisam. Pois eles crescem rápido e tomam seu rumo, seguindo o seu percurso na vida.
Postar um comentário

Pesquisa Google

Google