sexta-feira, 29 de maio de 2009

Dê liberdade e limites com equilíbrio:

Dê liberdade e limites com equilíbrio:
Diga sim, sempre que possível; e não, sempre que for necessário.

“Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio” 2Timóteo 1.7.


“A tríplice graça que o pastor recebe: 1) poder - caráter para saber exercer autoridade sem arrogância. 2) Amor – traz equilíbrio ao poder. 3 ) Moderação – gr sõphronismos – saúde mental, sobriedade. Assim, o pastor é mestre de si e do rebanho.” (17) = (3) comentário de rodapé, pg.1695.

Li em um site de noticias que pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) entrevistaram 6 417 jovens de 10 a 20 anos para descobrir como anda o consumo de álcool entre eles. Concluíram que 20% dos meninos e 15% das meninas entre 10 e 12 anos haviam ingerido álcool nos últimos 30 dias. Entre 13 e 15 anos o percentual aumentou: 43% dos garotos e 40% das meninas tinham consumido bebidas alcoólicas. Quatro em cada dez adolescentes começam a beber antes dos 15 anos.
A primeira pergunta que fiz ao ler estas estatísticas foi: - Por que?
Por que tantas crianças se entregando aos vícios, ao álcool, ao sexo, à comida, aos jogos eletrônicos, compulsivamente?
Será muita liberdade dada pelos pais?
Tanto a super proteção como a liberdade em excesso causam grandes prejuízos para o ser humano. E é fácil para nós cairmos em extremos!
Crianças precisam de limites e liberdade na dosagem certa para crescerem equilibradas.
Foi-nos ensinado que se amo alguém devo tentar segurá-lo, protegê-lo de tudo e de todos, como se pudéssemos ser Deus, e controlar alguma coisa. Na tentativa de resguardar, dominamos e sufocamos a semente da autonomia na infância. Quando amarramos os sapatos da criança sem ao menos deixá-la tentar ou fazemos o prato deles todos os dias até os 18 anos, estamos mostrando que eles não são capazes de cuidar de suas próprias necessidades. Atrapalhamos assim seu desenvolvimento normal. Quantos pais fazem as atividades de casa para seus filhos; vão desde um simples colorido até a realização de pesquisas, mas esta tentativa de fazer as coisas pelos filhos pode ser desastrosa para o desenvolvimento da criança.
Alguns pensam que dar liberdade é deixar a criança entregue a si mesma, muitos já ouvimos fases do tipo:
_ Deixe o menino fazer o que ele quer!
_ Não discipline, não corrija assim você vai traumatizar a criança!
Mas a Bíblia nos manda ensinar, corrigir. “Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo.” Pv 13.24. Veja também: Pv 10.13; 22.15; 23.14; 26.3; 29.15. Isto quer dizer colocar limites, só assim elas poderão ser realmente livres.
Corrigir não é espancar, este é outro problema que as crianças sofrem. O abuso de poder, como todo excesso só traz prejuízos. Infelizmente de vez em quando vemos no noticiário pais que mataram um filho de tanto bater. Nestes casos a correção é feita sem amor, da forma inadequada, na hora errada, para descarregar a raiva. Isto não é disciplinar!
Disciplinar é conversar sobre, perder o direito de... É fundamental a criança compreenda porque está sendo disciplinada para que assim, ela possa mudar seu comportamento. O medo, as críticas, a coerção geram mais problemas. Muitas vezes moldamos uma atitude aproveitando-nos do medo e da culpa, tão usados na educação, infelizmente. Estes artifícios não mudam a mente e os valores, com isso a tendência é que o comportamento se repita, pois o coração não foi pastoreado. A ‘psicologia de fundo de quintal’ como é conhecida pelos mineiros, é um exemplo do uso do medo e da culpa na tentativa de educar. Quem nunca ouviu sua mãe dizer?
_Menino se você pular da janela vai virar ladrão.
_ Se você falar mentira seu nariz vai crescer.
_ O bicho papão vai te pegar.
Seria muito mais eficaz explicar os efeitos ou as causas de tais atos. Se uma boa conversa não resolver, podemos usar outros métodos como veremos mais à frente. Em último caso, usamos a vara: com amor, calma, longe de expectadores, e no lugar apropriado - no bumbum. E se não doer mais naquele que está corrigindo, existe algo de errado. Pois toda disciplina na hora dói, em ambas as partes. “Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados.” Hb 12.11. Veja na pesquisa citada abaixo a comprovação deste principio bíblico:

“O dr. Stanley Coopersmith, professor de psicologia na Universidade da Califórnia, fez um estudo com 1.738 meninos pertencentes à classe média, e suas respectivas famílias, começando no período da pré-adolescência e acompanhando-os até a idade adulta. Depois de identificar aqueles que tinham maior auto-estima, ele comparou suas famílias e as influências recebidas na infância com aqueles que tinham menor senso de valor próprio. Ele encontrou 3 características importantes que os distinguiam: 1) Os meninos com boa auto-estima eram claramente mais amados e apreciados no lar do que aqueles com baixa auto-estima. O amor de seus pais era profundo e genuíno, não apenas um monte de palavras vazias. Os meninos sabiam ser motivo de orgulho e interesse dos pais, o que aumentava seu senso de valor.
2) Os meninos que pertenciam ao grupo dos que tinham uma boa auto-estima vinham de lares onde os pais eram significativamente mais rigorosos em relação à disciplina. Em contraste, os pais do grupo de baixa auto-estima haviam criado um sentimento de insegurança e dependência nos filhos devido a atitudes de maior permissividade. Seus filhos inclinavam-se a achar que as regras não eram reforçadas pela disciplina, porque ninguém se importava o suficiente para se envolver.
(“Se vocês são criados sem disciplina, então vocês são crianças ilegítimas e não filhos”). Além disso, descobriu-se que os jovens mais bem sucedidos e independentes durante o último período de estudos, vieram de lares que exigiam responsabilidade e prestação de contas com mais rigor. Desse modo, os laços familiares se fortaleceram. Nesses lares, disciplina e domínio próprio formavam um estilo de vida.
3) As famílias do grupo de boa auto-estima se caracterizavam também pela franqueza e espírito democrático. Uma vez que os limites de comportamento foram estabelecidos, havia liberdade para que as personalidades individuais pudessem crescer e se desenvolver. Os meninos tinham liberdade para se expressar, não temendo serem ridicularizados por isso, e a atmosfera predominante era marcada pela aceitação e segurança emocional.”
(18) Charles R. Swindoll. Família Forte. Ed Atos.

Essa pesquisa comprova o valor do equilíbrio na educação. As características que marcaram os lares dos adultos com boa auto-estima foram uma infância e adolescência com: amor, limites, liberdade de expressão e aceitação. Foram famílias que tentaram contrabalançar liberdade e limites.
Fiquei furiosa uma vez com um homem que se dizia jardineiro e insistiu para podar a árvore que fica no passeio de minha casa. Ele disse que iria dar uma forma àquela árvore, e lá foi ele com sua enorme tesoura cortando suas folhas. Fiquei imaginando uma linda moldura para minha árvore como eu via em outras por aí. Quando ele terminou eu não queria acreditar, nossa árvore estava horrível! Pelada! E não havia nenhum formato visível a olho nu. Ela parecia mais um ET estacionado em meu passeio. Ele podou onde não foi necessário e deixou folhas onde não era preciso. Disse sim onde não era preciso; e não quando não era necessário! Um jardineiro sem equilíbrio estraga um jardim. Pais desequilibrados ou vão super proteger seus filhos ou vão abandoná-los. Não é nada disto que queremos.
É assustador ver como as coisas caminharam de um extremo oposto ao outro! Mas o equilíbrio e a harmonia são possíveis, e começam com a nossa consciência da importância desta mudança. Quem sabe a próxima geração de cristãos consiga atingir o equilíbrio? Entao para garantir a vitoria semeie na infancia liberdade e limites com equilíbrio. Diga sim, sempre que possível; e não, sempre que for necessário.
Não confunda limite com super proteção nem liberdade com abandono. Equilibrar limites e liberdade é fundamental. Mas como conseguir isto? Vamos falar adiante um pouco mais sobre cada ponto destes. Mas acima de tudo: Esforce-se, seja forte e corajoso, mas com a direção de Deus. “Se não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda.” Sl 127. 1. O esforço humano é desperdiçado sem a orientação de Deus.


Texto de Alexandra Guerra extraído de seu livro "Infância, o Melhor Tempo para Semear." Editora Betânia.
Alexa é esposa e mãe. Escritora, pedagoga, palestrante.
E-mail: alexaguerra76@hotmail.com Blog: alexaguerra.blogspot.com

terça-feira, 26 de maio de 2009

Princípio n° 6 para as crianças serem bem sucedidas:

•6: Desenvolva o pensamento e a capacidade de tomar decisões fundamentadas nos princípios de Deus; isto é dar liberdade.

"O evangelho é a lei perfeita que dá liberdade às pessoas. Se alguém examina bem essa lei e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer." Tiago 1:25 [BLH]

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Sorteio do DVD deste mês:

Olá pessoal! :D
Como nos próximos 15 dias estarei em viagem minstrando palestras no Ceará... achei melhor fazer logo o sorteio deste mês. Então dentre os seguidores deste blog a ganhadora foi: Lyne Schossler. Parabéns!
Lyne envie-me o endereço para entrega e escolha um dos meus DVds abaixo:

1- DVD - Ciclos, de vida ou de morte, em qual deles sua família está?

2- DVD - Infância, o Melhor Tempo para Semear.

3- DVD - A Disciplina na Formação da Criança.

É só escolher que envio para você! Grande abraço, Alex@.

sábado, 23 de maio de 2009

O que é aquilo? (Vídeo)

"Na nossa vida, existem momentos que são mágicos, mas nós só percebemos muito depois que estes momentos passam... E às vezes não temos mais a oportunidade de comentarmos com a pessoa que os vivenciou conosco. Mas podemos relembrar, pois isto significa revivê-los. Toda recordação deixa um gostinho de saudades e às vezes de arrependimento... Por isto devemos aprender a manter o nosso coração cheio de paciência, amor e repeito. É bem verdade que existem momentos em que isto é dificíl, Mas não impossível de tentarmos. Não deixe de ver este vídeo que nos ensina uma lição de vida, às vezes esquecida."

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Parece que a família vai para o museu antes da minha previsão:

ESTADAO.COM.BR
Plano prevê livro com temática homossexual
Texto traz 50 ações para assegurar direitos iguais na diversidade sexual
Lígia Formenti, BRASÍLIA

O governo quer que sejam incluídos nos livros didáticos a temática de famílias compostas por lésbicas, gays, travestis e transexuais. Ainda na área da educação, recomenda cursos de capacitação para evitar a homofobia nas escolas e pesquisas sobre comportamento de professores e alunos em relação ao tema. Essas são algumas das medidas que integram o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), documento firmado entre representantes de 18 ministérios.
O Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT
O texto traz 50 propostas, que deverão se transformar em política de governo até 2011. São medidas em diversas áreas. Na saúde, o grupo prevê acesso universal a técnicas de reprodução assistida a LGBTs em idade fértil, recomenda o fim da restrição imposta a essa população para doação de sangue e garante que companheiros do mesmo sexo sejam incluídos como dependentes em planos de saúde. Na área da Justiça, pede que travestis e transexuais condenados à prisão sejam encaminhados para presídios femininos, em vez dos masculinos, como ocorre.
"É um marco na busca da garantia dos direitos e cidadania", afirmou ontem o secretário de Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, durante o lançamento do plano. O documento foi desenvolvido a partir da 1ª Conferência Nacional LGBT, realizada em junho. Desde então, integrantes da sociedade civil e representantes do governo passaram a discutir as medidas mais importantes para a garantia dos direitos desse grupo.
Das propostas apresentadas, algumas estão em andamento. É o caso do reconhecimento da união civil de casais do mesmo sexo e da criminalização da homofobia. Projetos com essas propostas tramitam no Congresso. "Se elas não forem aprovadas neste governo, serão no futuro. É só questão de tempo", avaliou Vanucchi.
No caso da transferência de travestis e transexuais para presídios femininos, há ainda um longo caminho a percorrer. "A proposta foi aceita, avaliada como possível pelo Ministério da Justiça. Agora, estudos serão realizados para colocar a proposta em prática", afirmou Eduardo Santarelo, do Programa Brasil sem Homofobia da Secretaria Especial de Direitos Humanos.
Toni Reis, presidente da organização não-governamental ABGLT, acredita que esse plano será um valioso instrumento para a conquista da cidadania plena do grupo. "Em sete países, ser gay é motivo para pena de morte", explica.
Para ele, entre as medidas mais importantes está a prevenção da homofobia nas escolas. "E isso tem de ser feito com capacitação, muita pesquisa e discussão." A próxima tarefa, em sua avaliação, é garantir a execução das propostas.
Parte delas dependerá de recursos que, de acordo com Vanucchi, serão procedentes de cada ministério onde a ação deverá ser realizada.
Entre as propostas apresentadas pelo plano para evitar a homofobia estão a criação de uma comissão intersetorial para atuar com redes de TV. O objetivo é evitar que, em programas de auditório e humorísticos, sejam veiculadas cenas de discriminação por gênero ou orientação sexual.
O plano também prevê classificar como inadequadas para menores obras com conteúdos homofóbicos. Para o secretário, a medida está longe de apresentar qualquer traço de censura. Segundo ele, a medida integra a política de classificação indicativa, de apontar o que é próprio ou não para ser assistido por crianças.

PRINCIPAIS PROPOSTAS
Educação: Apoiar cursos sobre diversidade sexual para mestres; incluir o tema nos livros didáticos
Comunicação: Classificar como inadequadas para menores obras com conteúdo homofóbico; fazer campanhas de
valorização LGBT
Família: Permitir que casal homossexual adote filhos; criminalizar a homofobia; permitir que o contribuinte inclua o parceiro como dependente
Justiça: Encaminhar a presídio feminino transexuais e travestis
Saúde: Extensão do direito à saúde suplementar ao companheiro
Programas: Criar políticas de crédito e reforma agrária voltadas para a população LGBT
Turismo: Incentivar o turismo para paradas gays

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,governo-quer-livro-didatico-com-tematica-homossexual,371327,0.htm

Meu Deus! É o fim da familia mesmo!
Onde estão os politicos com cosmovisão bíblica?
Onde está a influência cristã na sociedade?
Como disse Darrow Miller:
"Se a igreja não discipular a nação, a nação vai discipular a igreja"

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Para evitar brigas as nossas famílias o casal não deve discutir na frente dos filhos.


A Bíblia diz em Provérbios 11:29
“O que perturba a sua casa herdará o vento, e o tolo será servo do sábio de coração.”

sexta-feira, 15 de maio de 2009

10 mandamentos para uma colheita de sucesso - direto da Alemanha!




"Olá Alexa, tudo bem? Meu nome é Débora, tenho 42 anos, 2 filhos, sou crista há alguns anos...e frequento uma igreja evangélica aqui na Alemanha - Brasilianische Christliche Gemeinde em Karlsruhe, onde moro há 6 anos.Este mês minha participacao na igreja envolvia algo para o mês das maes, sou coordenadora da escolinha dominical e pesquisando na internet achei o texto maravilhoso sobre seu livro, onde vc nos relembra de que forma semear na vida dos nossos filhos...das nossas criancas. É maravilhoso e já pedi para uma amiga que trouxesse o livro do Brasil! Tomei a liberdade e pedi à Noemi (uma princesa do Senhor!) que fizesse uma apresentacao em vídeo com os 10 mandamentos para uma colheita de sucesso ,usando fotos das nossas criancas, mas antes de divulgar o vídeo decidi perguntar à vc...e pedir autorizacao para usar seu texto, no final eu citei seu nome e livroPor favor dê uma olhadinha no vídeo e me diga por favor se posso entao divulgá-lo na internet e tb em nossa igreja!obrigada pela atencao,Fique na paz do Senhor."

Obrigada querida Debora pela sua preciosa contribuiçao! Um abaraço em CRisto para você e sua igreja! Alexa :D

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Dr Russell Shedd, exemplo a ser seguido!

Dr Russell Shedd como sempre nos abençoou muito! O teólogo mais usado por Deus que temos aqui no Brasil, esteve ministrando em nossa igreja. Ele é nosso melhor teólogo, pois se esvaziou de si mesmo para deixar Deus enchê-lo e usá-lo para a honra e gloria do Senhor Jesus Cristo. São 80 anos de vida exemplar dedicados a Deus, pois ele se entregou a Jesus com quatro aninhos. Ele é uma das poucas pessoas que equilibra muito bem: Conhecimento e sabedoria com unção e humildade. Meu desejo é ser igual a ele quando eu crescer... Alexa Guerra. :D

Dr Shedd disse por que existimos:
"_ Você tem razão para existir: Dar a sua vida a Cristo, assim Ele te coloca no Corpo e o resultado é alegria a sua alma!"

Obrigada Deus por termos o privilégio de ser ministrados pelo Dr Russell Shedd. Um dos poucos servos Seus, que mesmo sendo 5 estrelas, não se rendeu ao estrelismo gospel.


Um abraço ao Tio Uli e sua esposa Suely que também estiveram conosco nestes dias produtivos e maravilhosos.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Crianças felizes e bem sucedidas.

Dez princípios para as crianças serem felizes e bem sucedidas.

O maior desejo dos pais e educadores em relação a suas crianças é que elas sejam felizes e bem sucedidas. Para alcançar este alvo as crianças precisam de algo simples que foi tirado de muitas delas: elas precisam de pais. Pais presentes, que se dediquem a elas. Pais que amam e educam dando liberdade e limites com equilíbrio. Pais que lhes peguem pela mão e lhes ensinem o caminho em que devem andar (Pv 22:6), lembrando que o caminho se faz caminhando, e não apenas falando. A Bíblia diz qual é este caminho: “Se você quer ter sucesso em tudo o que vai fazer, seja obediente a todos os pontos da Lei, sem nenhum desvio para cá ou para lá. Não se canse de lembrar ao povo as leis deste Livro, e você mesmo trate de meditar nelas todos os dias e todas as noites, para ter certeza de que está sendo obediente em tudo o que está escrito. Só assim você poderá ter sucesso.” (Josué 1.7-8-Bíblia Viva.)
Pesquisadores sobre aprendizagem reafirmam que o bom desempenho dos alunos nos estudos está ligado ao apoio dos pais. Cláudio de Moura Castro afirma que pesquisas “sobre o sucesso dos países do Leste Asiático em matéria de educação, mostram que tudo começa com o desvelo da família e com sua crença inabalável de que a educação é o segredo do sucesso. Países como Coréia, Cingapura e Taiwan não gastam muito mais do que nós em educação. A diferença está no empenho da família, que turbina o esforço dos filhos e força o governo a fazer sua parte.
“Muitos pais brasileiros de classe média achincalham nossa educação. Mas seu esforço e sacrifício pessoal tendem a ser ínfimos. Quantos deixam de ver TV para assegurar-se de que seus pimpolhos estão estudando? Quantos conversam freqüentemente com os filhos? As pesquisas mostram que tais gestos têm impacto enorme sobre o desempenho dos filhos.” (9) Revista Veja, Ed Abril, novembro de 2004.
Conheço mães e pais que chegam em casa cansados do trabalho e separam tempo de qualidade para olhar os cadernos dos filhos, conversar ou brincar com eles; ou seja, eles estão educando, influenciando seus filhotes. Trabalhei com uma psicóloga que tinha que se desdobrar como mãe e pai, e ela fazia isto com a maior competência. Ela chegava em casa após um dia inteiro de trabalho, e se dedicava a seu filho: olhava o para casa, os cadernos, ajudava seu filho preparar o material e passavam um tempo juntos.
Sucesso nos estudos e na vida de uma maneira geral está ligado a uma educação presencial, não dá para ser pai e mãe à distância, como dizia um comercial da TV: “não basta ser pai, tem que participar.” A saúde emocional, espiritual e física depende dos cuidados de pais amorosos e prontos a cumprir os princípios divinos em suas famílias.
Sendo pai ou professor, você pode sim, minimizar os problemas que o tempo longe das crianças podem trazer: conversando pelo telefone, dando atenção de qualidade a eles quando estiverem juntos, orando por e com elas, sendo amigos, elogiando, corrigindo sempre que necessário - sem deixar que a culpa por estar pouco tempo com elas lhe impeça de discipliná-las. Não deixe de estabelecer limites para suas crianças só porque você passa pouco tempo com elas. Mas por outro lado, não use seu tempo todo brigando e xingando seus pequenos. Eduque conversando, influenciando, estando ao lado. Façam alguma atividade juntos, como fazer um bolo ou simplesmente escovar os dentes e arrumar as camas. Podemos tornar essas ocasiões juntos agradáveis e preciosas, conversando sobre as coisas que aconteceram durante o dia que passaram, falando das tristezas e alegrias de cada um, sabendo que por meio destes simples momento estamos ensinando através de nosso estilo de vida, pois o seu exemplo é o maior ensino. É isto que Deuteronômios 6:7 nos diz: “Ensine seus filhos andando pelo caminho, ao deitar-se, ao levantar-se”- isto quer dizer a todo o momento. A maior força da educação está nas pequenas coisas, nos gestos e nas palavras do dia-a-dia, onde às vezes não percebemos, pois educar é se relacionar com o outro, e isto acontece na maioria das vezes de maneira informal. Aproveite cada minuto na presença de suas crianças e das pessoas que são preciosas para você! Ame-as e demonstre esse amor. Já que nosso tempo é tão curto e tão precioso aproveite cada minuto da vida para amar mais e se deleitar em seu jardim, pois um jardineiro cuida de seu jardim pelo prazer que tem de estar nele, de ver seus frutos e flores por vir, de sentir os perfumes que ele exala...
Às vezes me assusto com o poder que é dado aos pais e educadores de crianças pequenas. Você não se assusta? Temos em mãos as sementes para plantar um novo ser. Gosto de semear princípios, pois eles são as fontes que movem nossas ações. Princípios são valores que, se semeados na primeira época da vida, direcionam o desenvolvimento posterior, que estará subordinado a eles. Princípios não morrem, são como sementes. Às vezes parecem que morreram, mas estão adormecidas, debaixo da terra, e um dia brotam, é claro que dependem das condições necessárias para romper a terra. Assim é com os bebes, tudo é novo para eles e para as crianças pequenas, até que alguém lhes apresente: A maneira de ver as formigas, as flores, uma galinha e até uma barata, dependem de como estas lhes são apresentadas. Na Corea do Sul, por exemplo, as crianças vêem os cachorros como uma possível refeição, eu não posso nem pensar em comer meu cachorrinho! Isto também ocorre com a maneira de lidar com o amor, o erro, a dor, a alegria, enfim, com a vida... A maneira de lidar com a vida vai depender das sementes que foram plantadas na infância, do tipo de solo e das condições que elas tem para se desenvolver. É isto o que me assusta, é muita responsabilidade e também uma grande oportunidade que as pessoas que cuidam de crianças têm. Princípios são sementes. Que sementes você tem lançado?
Cada família tem os filhos que produz. Assim como, na sua grande maioria, os alunos reagem de acordo com o estilo da aula e do temperamento do professor. Por exemplo,você pode ensinar a criança a fazer por merecer ou dar a ela tudo o que pede ensinado-a assim o falso conceito de que na vida é tudo muito fácil. Isto aconteceu com o filho de Vânia, que queria dinheiro de qualquer jeito: “_Mãe vamos naquela máquina do banco pegar dinheiro.” A mãe lhe disse que temos que trabalhar para receber dinheiro, pois ele não brota das máquinas simplesmente. E teve uma conversa sobre o assunto com o garotinho. Na outra noite, ao chegar do trabalho o menino veio todo animado dizendo: “_Mãe eu trabalhei e ganhei um real! Ajudei o vovô a carregar uns caixotes e ele me pagou.” Cada família ou professor colhe as sementes que planta e cultiva. Como são suas crianças? Está na hora de um exame. É urgente voltar aos princípios que a Palavra de Deus nos dá para a educação das crianças! Princípios que foram abandonados por muitos pais e educadores trazendo assim, enormes prejuízos a esta geração. Como provavelmente você tem pouco tempo, resumi os princípios bíblicos para a educação das crianças, formulando assim dez princípios para as crianças crescerem felizes e bem sucedidas. Que tal colar a lista abaixo no espelho ou na agenda? Falarei sobre cada um deles mais detalhadamente nos próximos capítulos.

Princípio nº.1: Os pais são os responsáveis pela educação das crianças. Ef6.4 e Dt 6.7.
Princípio nº. 2: Apascente o coração das crianças que estão sob sua responsabilidade. Jo 21.15.
Princípio nº. 3: Ame as crianças, incondicionalmente. 1Jo 4.7-20.
Princípio nº. 4: Dê liberdade e limites com equilíbrio. 2Tm 1.7.
Princípio nº. 5: Discipline-as quando necessário, usando os métodos adequados a cada ocasião; isto é estabelecer limites. Pr 6.23.
Princípio nº. 6: Desenvolva o pensamento e a capacidade de tomar decisões fundamentadas nos princípios de Deus; isto é dar liberdade. Tg 1.25.
Princípio nº. 7: Quando caírem ensine-as a levantarem de novo e a aprender com os erros. Salmo 37.24.
Princípio nº. 8: Atenda as necessidades de cada etapa do crescimento. Lucas 2.52.
Princípio nº. 9: Seja o exemplo que elas procuram. 1Co 11.1.
Princípio nº. 10: Crianças são flechas, eduque-as para serem lançadas na vida e acertarem o alvo. Sl 127.3-5 e Rm 8.29.

Agora vá em frente! A Bíblia diz: “Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Senhor, o Seu Deus, estará com você por onde você andar.” Josué 1.9; NVI. A tarefa não é fácil, mas acredite, vale a pena investir em crianças! O Senhor Deus está com você e lhe diz: “Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir, eu o aconselharei e cuidarei de você.” Salmos 32.8; NVI.


Texto de Alexa Guerra extraído de seu livro "Infância, o Melhor Tempo para Semear." Editora Betânia.
Alexa é esposa e mãe. Escritora, pedagoga e palestrante.
E-mail:
alexaguerra76@hotmail.com
Blog: alexaguerra.blogspot.com

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Mensagem para o dia das mães: Mães e flores.

Mãe e flores.

Já notou como associamos mães com flores?
As mães são como as flores: perfumam, embelezam, anunciam a vida!
As mães como as flores: são sensíveis e ao mesmo tempo resistentes.
Algumas estão firmes realizando a sua missão de gerar e manter a vida!
Infelizmente, outras mães estão murchas, ressecadas, esgotadas...
Estão desanimando, e colocando em risco os frutos...
Já pensou se as flores se cansarem de serem flores?
Todos os frutos, perfumes e belezas estariam ameaçados!
Se as mães desistirem... Toda geração estará condenada ao sofrimento, ao esfriamento, ao fracasso.
Algumas mães já desistiram: de amamentar, de proteger, de elogiar, de corrigir, de criar, de se dar...
Preciosa mãe: não tenha medo! Pois o seu Criador, O SENHOR Todo Poderoso, será o seu marido e o seu Salvador!
O SENHOR Deus te diz: “O meu amor por você não acabará nunca, e a minha aliança de paz com você nunca será quebrada.” Isaías 54:10.
A Bíblia diz em Isaías 55:6,7: “Procurem a ajuda de Deus enquanto podem achá-lo.”
Volte-se para Deus, como as flores buscam a luz!
“Orem ao Senhor enquanto Ele está perto.” Fale com Deus: Ele te ouve!
“Mudem sua maneira de viver e abandonem seus maus pensamentos.” O mau envenena a alma.
“Voltem para o SENHOR, nosso Deus, pois Ele tem compaixão e perdoa completamente.”
Você vale muito mais que as flores.
Mãe, não desista!Seja como as flores! Embeleze seu jardim, independente de como esteja o solo.
Pois não há esperança de vida sem vocês!
Não posso imaginar o mundo sem mães, que desempenham o seu belo papel.
Assim como não posso imaginar o mundo sem a riqueza das flores, pois são elas que asseguram a reprodução da espécie.

Por: Alexa Guerra ->
http://alexaguerra.blogspot.com/
Autora do livro: “Infância, o Melhor Tempo Para Semear.” Editora Betânia.

sábado, 2 de maio de 2009

Enquete encerrada! Veja resultados da votação:

Como as crianças passam a maior parte do tempo?

Mídia (TV, Internet)
20 (57%)

Jogos eletrônicos
9 (25%)

Escola ou creche
4 (11%)

Pais
2 (5%)

Outras pessoas, como avós, vizinhos ou parentes.
4 (11%)

Na rua.
7 (20%)

É alarmante, mas confirma o que vemos por aí, as crianças passam a menor parte do seu tempo com os pais! Estamos quebrando o princípio bíblico que manda os pais criarem seus filhos. (Efesios 6:4 e Dt 6:7). Por isso, temos colhido os frutos amargos desta omissão dos pais. :(
Participe da próxima enquete dando seu voto: veja lá em baixo no lado direito do blog.

Pesquisa Google

Google