quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Pais contratam detetives para investigar filhos

Intenção é saber sobre as rotinas e o comportamento dos adolescentes
Na capital paulista, dobrou a procura por detetives. Pais desesperados em saber os passos dos filhos com idades entre 15 e 17 anos buscam a cada dia mais os serviços desses profissionais. São várias as preocupações com os adolescentes, a maioria de classe média: consumo de drogas, namorado novo, amigos e até saber se o filho é homossexual. O diretor da Central Única Federal dos Detetives do Brasil (CUFDB), Edilmar Lima, garante que houve uma mudança significativa nos últimos cinco anos quando se fala no perfil dos clientes. "No ano de 2003, 40% dos clientes investigavam suspeita de infidelidade. Em 2008, 30% procuram investigar os filhos”, avalia. A detetive Angela Bekeredjian conta que, em 2007, atendeu cinco pais desconfiados das atitudes dos filhos em São Paulo. Neste ano, o número subiu para 15 pessoas. Ela credita o aumento às mudanças de comportamento dos jovens. "Hoje em dia, o adolescente não tem tanto vínculo com a família, se tranca no quarto, fica recluso e se torna agressivo quando incomodado", declara.
[O Estado de S.Paulo (SP) – 15/09/2008]
Postar um comentário

Pesquisa Google

Google