domingo, 6 de abril de 2008

Depoimento da Biana sobre o texto [abaixo]: "Pai, ninguém pode suprir sua falta".

Você não sabe o quanto estou chorando por causa deste texto sobre pais. Eu tive o meu sempre presente, agindo como um grande pai de família até que no dia 1º de maio de 2002 ele morreu e agora eu só tenho saudades enormes, sinto tanta falta dele! É como aquela mãe - que você mesma relatou no texto - a família fica com um vazio, pois é um lugar que ninguém pode ocupar.
Muito obrigada, o artigo me fez ver mais uma vez o quanto meu pai foi importante na minha vida e principalmente na minha formação. Tenha uma ótima note! Biana.
Postar um comentário

Pesquisa Google

Google