segunda-feira, 27 de junho de 2016

Gratidão, paz, contentamento, humildade, equilíbrio.

“A gratidão é único tesouro dos humildes.” Willian Shakespeare
Quando li esta frase, pensei: Poxa Shakespeare, o único?! Então estou longe de ser humilde mesmo! Porque tenho vários tesouros, e a gratidão não é o meu forte!  E onde ficam minha família, saúde, casa, trabalho?! Pensei, pensei... custei, mas entendi! Minha gratidão pelas coisas que considero mais preciosas para mim é que são o verdadeiro tesouro e não as coisas em si. Elas, na verdade, não me pertencem e podem faltar um dia. Posso perder entes queridos, por diversos motivos, bem como qualquer coisa que me é valiosa. E quando perdas e mudanças repentinas acontecem, pois fazem parte do processo da vida, posso perder a paz e até surtar se meu sentimento for de posse e não de gratidão. Por exemplo, meus pais, não são minha propriedade, bem como meus esposo e filho; eles são minha riqueza, mas não um bem. O meu coração deve estar cheio de gratidão por eles. Este estado de graça que deve ser o meu tesouro, ele me trará de volta ao equilíbrio quando algum imprevisto acontecer. Mesmo que financeiro ou material. A humildade vem do reconhecimento de que este tesouro me foi concedido e pode ser tirado de mim a qualquer momento, expondo fragilidades e limitações. A pretensão ou a vaidade de achar que eles são meus permanentemente e eternamente são uma armadilha que conduzirão a dores profundas. Bem, acho que foi isto que Shakespeare quis dizer. Como foi libertador entender isto! Então vamos praticar? Pois, a gratidão atrai paz e produz equilíbrio. Pelo que você é grato hoje?



Postar um comentário

Pesquisa Google

Google