terça-feira, 11 de setembro de 2012

Dez princípios para as crianças serem felizes e bem sucedidas.


Às vezes me assusto com o poder que é dado aos pais e educadores de crianças pequenas. Você não se assusta? Temos em mãos as sementes para plantar um novo ser. Gosto de semear princípios, pois eles são as fontes que movem nossas ações. Princípios são valores que, se semeados na primeira época da vida, direcionam o desenvolvimento posterior, que estará subordinado a eles.  Princípios não morrem, são como sementes.  Às vezes parecem que morreram, mas estão adormecidas, debaixo da terra, e um dia brotam, é claro que dependem das condições necessárias para romper a terra. Assim é com os bebes, tudo é novo para eles e para as crianças pequenas, até que alguém lhes apresente: A maneira de ver as formigas, as flores, uma galinha e até uma barata, dependem de como estas lhes são apresentadas. Na Corea do Sul, por exemplo, as crianças vêem os cachorros como uma possível refeição, eu não posso nem pensar em comer meu cachorrinho! Isto também ocorre com a maneira de lidar com o amor, o erro, a dor, a alegria, enfim, com a vida... A maneira de lidar com a vida vai depender das sementes que foram plantadas na infância, do tipo de solo e das condições que elas tem para se desenvolver. É isto o que me assusta, é muita responsabilidade e também uma grande oportunidade que as pessoas que cuidam de crianças têm. Princípios são sementes. Que sementes você tem lançado?
Cada família tem os filhos que produz. Assim como, na sua grande maioria, os alunos reagem de acordo com o estilo da aula e do temperamento do professor. Por exemplo, você pode ensinar a criança a fazer por merecer ou dar a ela tudo o que pede ensinado-a assim o falso conceito de que na vida é tudo muito fácil. Isto aconteceu com o filho de Vânia, que queria dinheiro de qualquer jeito: “_Mãe vamos naquela máquina do banco pegar dinheiro.” A mãe lhe disse que temos que trabalhar para receber dinheiro, pois ele não brota das máquinas simplesmente. E teve uma conversa sobre o assunto com o garotinho. Na outra noite, ao chegar do trabalho o menino veio todo animado dizendo: “_Mãe eu trabalhei e ganhei um real! Ajudei o vovô a carregar uns caixotes e ele me pagou.” Cada família ou professor colhe as sementes que planta e cultiva. Como são suas crianças? Está na hora de um exame. É urgente voltar aos princípios e virtudes para a educação das crianças! Princípios que foram abandonados por muitos pais e educadores trazendo assim, enormes prejuízos a esta geração. Como provavelmente você tem pouco tempo, resumi os princípios para a educação das crianças, formulando assim dez princípios para as crianças crescerem felizes e bem sucedidas. Que tal colar a lista abaixo no espelho ou na agenda?
Princípio nº.1: Os pais são os responsáveis pela educação das crianças.
Princípio nº. 2: Apascente o coração das crianças que estão sob sua responsabilidade.
Princípio nº. 3: Ame as crianças, incondicionalmente.
Princípio nº. 4: Dê liberdade e limites com equilíbrio.
Princípio nº. 5: Discipline-as quando necessário, usando os métodos adequados a cada ocasião; isto é estabelecer limites.
Princípio nº. 6: Desenvolva o pensamento e a capacidade de tomar decisões fundamentadas em virtudes e valores; isto é dar liberdade.
Princípio nº. 7: Quando caírem ensine-as a levantarem de novo e a aprender com os erros.
Princípio nº. 8: Atenda as necessidades de cada etapa do crescimento.
Princípio nº. 9: Seja o exemplo que elas procuram.
Princípio nº. 10: Crianças são flechas, eduque-as para serem lançadas na vida e acertarem o alvo.

Agora vá em frente!  Seja forte e corajoso! A tarefa não é fácil, mas acredite, vale a pena investir em crianças! Estamos juntos por nossas crianças!

Texto de Alexandra Guerra extraído de seu livro "Infância, o Melhor Tempo para Semear." Editora Betânia.  
Postar um comentário

Pesquisa Google

Google