sexta-feira, 28 de março de 2008

JARDINS

Minha cabeça está cheia de jardins. Para mim, foi Deus quem plantou eles aqui dentro. Imagine aquele terreno onde se cultivam árvores, flores e plantas... Perfume, beleza, paz... é deste jardim que estou falando.
Os eventos mais importantes acontecem em um jardim.
Deus plantou um jardim no Éden, e pôs nele o homem que havia formado, (Gn 2:8). Nele havia lindas árvores, alimentos e um rio que o regava. Esse rio se repartia em quatro braços. Deus colocou o homem lá para cultivá-lo e guardá-lo. O próprio Deus andava por este jardim.
O pecado original e a morte espiritual da raça humana tiveram início no jardim.
A redenção e a vida eterna também se originaram no jardim. Pois, no lugar onde Jesus havia sido crucificado, sepultado e ressuscitado, existia um jardim. (João 19:41).
Como Maria Madalena suponho que Jesus seja um jardineiro Mestre, (João 20:15) creio que Ele me conhece e me chama pelo nome.
Descobri a pouco, outro motivo, porque quando estou em um lugar assim, cheio de plantas e flores me sinto mais perto de Deus; é porque tudo o que nasceu ali teve primeiro que morrer para si mesmo, para então depois nascer. "O que semeias não nasce, se primeiro não morrer." (1Co 15:36). A semente morre para então resultar em um novo corpo que Deus lhe dá.
Tem tantas coisas em nós que precisam morrer: Corrupção, desonra, fraqueza... e quando elas morrem em um jardim é maravilhoso, pois podem ser transformadas e nascer de novo! Deus dá ao grão o corpo apropriado, como diz em 1 Co 15:42- 44 :"Pois assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo na corrupção, ressuscita na incorrupção. Semeia-se em desonra, ressuscita em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscita em poder. Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual."
Perguntei a um amigo, que é deficiente visual, o que lhe vem a mente quando pensa em um jardim de plantas. Com a sua sensibilidade ele descreveu de forma encantadora:
"Jardim de plantas: Me dá a sensação de um completo desligamento deste mundo, uma oportunidade única para se ouvir a voz de Deus, vontade de ouvir cantos de pássaros raros, solidão saudável, penso também em desfrutar a companhia de pessoas sensíveis, lendo poemas, ouvindo o melhor da música, fazer caminhadas totalmente despreocupado da escravidão avassaladora do relógio, concluindo, faz tempo não vejo plantas, mas gosto muito de violetas."
Isso me dá muita vontade de viver rodeada por um jardim. Por isso, estou investindo em sementes onde estou plantada.
Jesus disse que Ele é a videira, e o Pai do Céu é o agricultor. (João 15). Nós que cremos nele somos os ramos, se não dermos frutos Ele nos corta. Simples assim. E todo ramo que dá fruto, Ele limpa, para que produza mais fruto ainda. Os ramos só podem dar frutos se estiverem ligados na videira, e dela extraírem seiva da vida. O ramo que não estiver ligado na videira, secará e será lançado no fogo. Elementar assim.
Prefiro estar no jardim a estar no fogo!
O Pai me cultiva. Eu sou o ramo. Jesus a parreira que produz uva.
Então, como diz a música de crianças, sou mesmo uma florzinha de Jesus!

Alexa Guerra :-)
Alexandra Guerra Castanheira
Postar um comentário

Pesquisa Google

Google