segunda-feira, 30 de junho de 2008

Quem sou eu...


Sou Alexandra, minha cabeça está cheia de jardins, acho que foi Deus quem plantou eles aqui.
Sou esposa e mãe.
Educadora e pedagoga.
Escrevi alguns livros, dentre eles, "Infância: o melhor tempo para semear." Publicado pela Editora Betânia.
Escrevo e leio por prazer. Gosto de ler C. S. Lewis.
Gosto de chocolate, da cor rocha e de nadar.
Sou deslumbrada com a criação! Com o mar, as plantas, animais, estrelas... Tudo o que Deus criou é maravilhoso e fascinante!
Respeito e admiro os pais, pois eles têm a missão mais nobre que existe: amar e educar um ser humano. Sinto-me honrada por poder ajudar e inspirar os pais.
Anseio ser guiada por Princípios Bíblicos. Decido subordinar sentimentos a valores. Sinto-me mais perto de Deus quando leio a Bíblia e quando estou em um jardim. Ah! Sou jardineira. Estou semeando as sementes da minha mais alta esperança no solo do seu coração.
Deus é tudo para mim, sempre o amei. “Tu és o meu abrigo e o meu escudo, e na tua palavra coloquei minha esperança.” Sl 119:114. Entreguei-me a Ele na infância. E ainda me entrego a cada dia. Sem o Deus Eterno o que sou e o que faço perde o sentido. Não posso nem imaginar minha vida sem o senhorio de Jesus. Nada me faz mais satisfeita do que agradar e servir a Deus! Hoje vislumbro a felicidade de obedecê-lo. “Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos.” Salmos 119:10.
O Salmo 119 é o meu preferido! Uma palavra que me define: Busca. Algo que busco incansavelmente: ter cosmovisão cristã.




Se você quer ver quem sou eu no formato padrão, veja meu currículo.

BREVE CURRÍCULO

  • Alexandra Guerra Castanheira

Formação

Graduada em pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais.
Básico em Teologia pelo Instituto Cristo para as Nações, filiado ao Christ for the Nations, Dallas, USA.
Graduada no Instituto Haggai Brasil, em Formação de Lideres Cristãos.

Experiência
Escritora do livro: Infância: O Melhor Tempo Para Semear. Editora Betânia.
Escritora do livro infantil: “Caramujino, o caramujo resmungão “, Editora Atos.
Escritora, juntamente com seu esposo, do livro: “Dinâmicas para ensinar a Bíblia”, Ed. LERBAN.
Seis anos como escritora e coordenadora de literatura para crianças, jovens e adultos na Editora LERBAN (Livraria Editora Renovação Batista Nacional), com várias publicações; (1996 – 2002).
Professora de Didática e Educação Cristã no Seminário Evangélico Betesda/MG.
Professora e coordenadora de Escolas Bíblicas de igrejas, desde 1997. Dentre elas, da Igreja Batista Getsêmani/BH - durante 2002.
Ministrante do CECED “Centro de Educação Cristã Ensino Dinâmico”, com larga experiência em formação de educadores cristãos. Desde 1997 vem trabalhando com a formação de pais, líderes e professores de escolas bíblicas, dando treinamentos e assessorias.
Nove meses de experiência com igrejas da Flórida, nos USA - 2003.
Supervisora pedagógica de 1ª a 8ª série, no Instituto Educacional Betesda de Ensino Fundamental – 2004 e 2206.
Diretora do Colégio Cristão VER, escola da Missão V.E.R. Educação Infantil e 1ª a 4ª séries – Desde 2004.
Capacitadora da AECEP.
Fone: (31) – 9304 5846
E-mail: alexaguerra76@hotmail.com
Blog>> http://alexaguerra.blogspot.com/

quinta-feira, 26 de junho de 2008

ENCONTRO DE PAIS & EDUCADORES DE MG


quarta-feira, 25 de junho de 2008

Uma maneira eficaz de lutar pela redenção do ser
humano é começando antes da infância, antes da
gestação, ...
é investindo nos pais.
[Alexandra Guerra]

terça-feira, 17 de junho de 2008


“A infância é o melhor tempo para semear.
Você é o jardineiro.
Cuide bem de seu jardim, afinal você vive nele.” Alexandra Guerra.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Uma conversa com duas crianças que me marcou:

Uma família completamente nova.

Eu estava agachada diante de duas meninas de quatro anos de idade e conversava com elas por causa de suas constantes brigas e agressões físicas na escola. Uma delas, a maior, entregou a sua mãe - como elas sempre fazem nesta idade:
"_ Mas a minha mãe disse que é para eu descontar se alguém me provocar!"
A outra menina, bem menor do que a outra, tomou coragem e disse:
"_ A minha mãe também disse isso."
Respirei fundo, pois já vi esse filme antes, e respondi:
_ Então vou ter que chamar as suas mamães aqui na escola para conversarmos, pois não podemos bater uns nos outros. Vocês acham certo bater? _ E as duas balançaram a cabeça gesticulando um não bem enfático. A maior que falava lentamente, disse com seu olhar distante e apagado:
_ Mas minha mãe bateu no meu pai e jogou as roupas dele na rua... _ A outra a interrompeu em prantos:
_ E a minha mãe chamou a polícia para o meu pai e eles brigam muito! _ As lágrimas desciam pelo seu rostinho pequenino, as mãozinhas começaram a tremer. Eu fiz um gesto de apoio segurando em sua perninha. A outra garotinha olhou para minha mão então percebi e também coloquei a outra mão em seu joelho enquanto eu as acariciava.
_ Mas vocês não precisam ser como seus pais, vocês podem ser diferentes. Nós vamos ajudar se vocês quiserem. _ Eu disse e olhei para a coordenadora que estava ao lado.
A de olhos e rosto molhados dizia entre soluços:
_ Eu quero, eu quero...
A outra gesticulou com a cabeça dizendo que também queria. Seus olhos inexpressivos penetraram pelos meus.
_Então vamos ajudar vocês, mas vocês não podem bater uma na outra, tudo bem?
A coordenadora da escola continuou a conversa com elas enquanto eu me levantei angustiada para recuperar o fôlego! Mas meu coração continuou no chão, aos pés das garotinhas.
Uma menina parecia anestesiada e distante. A outra olhava profundo nos meus olhos e deixava sair por suas lágrimas a angustia e o desespero.
Neste ponto uma aflição tomou conta de mim. Me dei conta de que a situação de muitas outras crianças é exatamente esta. Tão pequenas e já tem tantos problemas causados por seus pais! Quem trabalha com crianças lida com estas situações constantemente. É angustiante a situação das famílias! Elas estão como terrenos áridos, trincados pela secura, onde só nascem plantas duras com espinhos, que suportam a sequidão do deserto.
"Esse é o quadro - que não é de destruição, mas de reconstrução. Aquelas terras limitadas pelo espaço, pelo tempo, pela matéria e pelos sentidos precisam ser capinadas, cavadas e semeadas em busca de uma nova colheita. Pode até ser que estejamos cansados daquelas terras antigas; porém Deus não está." [Um ano com C. S. Lewis. Ed Ultimato. Pg. 183.]
Precisamos de um grande milagre para resgatar as famílias. Ainda bem que Deus é especialista em milagres. Nós cuidamos da terra e semeamos, aí vem Deus é dá o milagre da vida, transformando as sementes em plantas. Gerando as flores e os frutos. Mas primeiro a semente tem que morrer para si. Morrer para seu desejo limitado de ser semente apenas.
Precisamos de uma família restaurada e completamente nova.
Ainda bem que "O Senhor ama a justiça e não desampara os seus santos; serão preservados para sempre, mas a descendência dos ímpios será exterminada." Salmos 37:28.
A saída existe. O milagre de uma nova família pode acontecer. Na verdade, nos sabemos como as famílias podem ser renovadas. Depende do caminho que escolhemos. "Espera no Senhor, segue o seu caminho." Salmos 37:34.

Alexandra Guerra Castanheira
Autora do livro " Infância: O Melhor Tempo Para Semear”. Pedagoga, palestrante e jardineira.
E-mail: alexaguerra76@hotmail.com Blog: alexaguerra.blogspot.com

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Encontro de pais & educadores

Este encontro de pais & educadores vai semear inspiração e esperança no solo do seu coração!
Temas
Somos pais! E agora?
“Infância, o melhor tempo para semear”
Plenária: aberto a perguntas.
Você, o semeador! Ministração e oração.
A disciplina na formação da criança.


Data 30 e 31 de agosto de 2008.
Sábado de 14h às 19h. Domingo de 9h às 12h.
Local: Comunidade Batista Semeando.Rua Estados Unidos, 44. Bairro Nações Unidas. Sabará. MG.
Inscrições: (31) 3671 9176. E-mail:
alexaguerra76@hotmail.com
Investimento: R$ 15,00 por pessoa. (Inclui Coffee-breaks. Não inclui refeições.)
Teremos livraria no local.
Apoio Editora Betânia.

Pesquisa Google

Google